domingo, 27 de julho de 2008

PÉ DE PAU

Lá longe, na minha terra
Árvore chama-se pé-de-pau
Aliás outros a chamam
Pois árvore não pode falar.
Eu criança imaginava
Um pé grande de madeira
E outra hora eu via
Um pé de gente enraizado
Com galhos frondosos na coxa
E viajava em absurdos.
Aqui, andando no Aterro,
Vi um lindo pau de pé.
O tronco vai virando
uma coxa, canela e pé
Cadê o resto do corpo?
Onde está o outro pé?
Parece que o corpo está
Brotando da terra dura
Pois o pé chuta o ar
Incomodando o vento.
Pé de gente, pé de mesa
Pau de pé não é de pau?
Essas perguntas me deixam
Com os cabelos em pé.
Cadê a lógica da língua?
Melhor não usar razões
Ficar em pé de igualdade
Ou ser um perna de pau.

Um comentário:

Rosana disse...

Olá,Claudio,
Adorei seus desenhos. São lindos!!!
Fer-me recordar de uma pessoa que tanto amo,mas que já não está aqui conosco. Meu querido pai. Era caminhoneiro e costumava desenhar as paisagens que via.
Um grande abraço,Rosana.