domingo, 13 de junho de 2010

Castigando o santo

- Se o Antônio não me arranjar um marido... juro que ponho ele de cabeça pra baixo.
O santo não arrumou e Joana fez o prometido. Pendurou o santinho de ponta-cabeça. E não é que deu certo?! Aliás, deu quase certo: arrumou marido sim, mas o cara só vivia de cabeça virada, plantando bananeira. Era malabarista de circo e não ligava muito para a Joana.
Separação.
- Se o Antônio não for legal comigo dessa vez eu vou esconder ele no armário.
E escondeu mesmo.
Mais uma vez a mulher foi agraciada com um marido. Novo, bonito, carinhoso. Parecia perfeito. Até que um dia, ela chegou mais cedo do trabalho e ao abrir o armário, encontrou um homem lá dentro. Era amante do maridão. E não é que se chamava Antônio?! Caladinha, Joana engoliu seco a traição.
Botou o marido pra fora com o amante.
- Antônio, não tem jeito... se o senhor não me arranjar um marido... dessa vez vou pô-lo na geladeira, ou melhor, no congelador.
E temendo ficar solteirona falada, pôs o pobre do santo no congelador. Lá ele virou pedra. Até que apareceu na vida dela um tal de Geraldo. O homem era o que se pode chamar de geladeira ambulante: frio nos gestos, na fala e na cama.
Resultado: Joana amargou a frieza do Geraldo pelo resto da vida, caladinha.

5 comentários:

Gerana Damulakis disse...

Ah, CR, me acabei de rir com a ironia da história e, ao mesmo tempo, fiquei com pena dela com um marido gelado.

Maria do Desterro disse...

essa caixinha sempre me supreende, adoro besbilhotar, ah, fei João diz que não dá certo pedir pra S. Antonio, ele nem casou, como vai entender de casamento, por isso essa bagunça com essa coitada.
bjos

Ana Tapadas disse...

Marido gelado é coisa terrível. História muito engraçada.
Bj

Renata Luciana disse...

melhor ficar sem falar com o Santo.

beijocas!

Lua Nunes disse...

Meu santinho vive a posto, mas até o momento não solicitado. Exatamente porque tenho medo do destino de Joana. Belissimo texto!