sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Pintura digital, em iPad
Eu me enganei. Quadradamente. 
Imaginei que chegaria à casa dos 30 com muitas certezas. Que os medos diminuiriam. Que as desordens de dentro tomariam outro corpo e me abandonariam. Que o homem novo seria tão prático, coerente e decidido. 
Engano. Os medos aumentaram, as desordens se avolumaram e as decisões vêm depois de martírios. 
Quem nasceu para ter certeza, definitivamente não é humano.

Um comentário:

Maíra da Fonseca Ramos disse...

Somos só mudança, essa é uma certeza! Também sentia que chegaria assim aos trinta e vi que estava era enganada...