quarta-feira, 3 de março de 2010

EU! EU?

"Você tem certeza que você é você?"
"Como assim? Eu tenho certeza que eu não sou você."
Ouvi esse diálogo confuso outro dia, na rua, entre duas garotas. Não pude parar para ouvi-las e saber como terminou esse embate filosófico. Sim, porque elas estavam tocando na questão mais desafiadora para a humanidade: "Quem sou eu?". Pergunta difícil que a garota respondeu jogando toda sua existência para a relação com a outra. "Eu sei que não sou você" soa como "não tenho certeza de mim, tenho certeza de não ser o outro". Tenho certeza que o outro não sou eu. Tenho certeza que o outro é o outro e eu... Bem, eu procuro, desde que me notei por gente, saber o que compete ao meu eu, o que faz de mim o meu eu, o que é próprio de mim. Tenho certeza que caí numa enrascada, porque o eu em mim é muitos, nem sempre o mesmo que me preenche. O eu de mim quer ser o tempo todo nós. Nesses nós me perco, embaraço-me, porque não sei ser eu.
E porque o eu em mim é demasiadamente grande para minha consciência é que não sei.
Não saber encerra uma questão.

3 comentários:

Ana Tapadas disse...

Ai que saudades tinha destas histórias! São magníficas.
Beijinho

Gerana Damulakis disse...

Saudades também.
Bom, "eu sou eu mais as minhas circunstâncias" (Ortega y Gasset).

Renata Luciana disse...

Texto lindo Claudio! passei um tempo pensando...

voando voando dentro de mim